sexta-feira, 30 de março de 2012

MadamEstrada

“Ela é a mãe dos cavaleiros andantes,
Não tem começo, não tem fim,
Tem pontos de parada, mas nunca um ponto final,
Tem belas paisagens e caminhos tortuosos,
È a Estrada, que inconscientemente passsamos todos os dias,

Pra onde ela vai, não importa,
O importante não é saber o nosso destino,
Mas saber pra onde iremos voltar,
E a Estrada com certeza nos levará,
Aonde quisermos ir,

Eis a estrada, cada um faz as suas escolhas,
Cada um traça o seu próprio caminho”

quinta-feira, 29 de março de 2012

serra de Mendes


enquanto a serra chegava,

e a lama descia do alto do céu,,

o frio geava e o vento cortava,

era água do céu a desabar,


pede pra avisar lá em casa,

que a chuva desceu e não dá pra subir,

os pneu tá liso e a segunda engastaia,

dessa nos não há de passar,


grita caboclo, bota primeira,

dança flecha na estrada a subir

sobe de banda e volta de lado,

e o velho a falar...


taca a corrente, põe pra gritar,

se Deus ajudar, nos há de chegar


segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

O retorno a rua das Parcas

nunca tudo fez tanto sentido pra mim,
os poetas falam, os arautos gritam,
arrebatei os sentimentos e voltei a ser trator,
é a hora do desapego,
voltei a ser eu, perdi a arte da dor.

tenho orgulho der apenas um poeta esquecido,
a fraqueza foi quebrada, o fogo ascendeu,
o ferrolho se partiu, volto a velha mãe,
comemora mundo canibal,
seu animal mais feroz voltou.....