sábado, 6 de fevereiro de 2010

Soneto a uma grande Mulher

Conhecer-te é um desafio,
Teus mistérios são maiores que a vida,
Ver-te mesmo longe, é meu alivio,
Após as batalhas sangrentas do dia.

Teus olhos são como duas jóias,
Jóias raras que não se compram,
Tua beleza é como a de uma flor,
Das que só no jardim do Éden se encontram,

Tua maior beleza no entanto,
Não está só em teus lindos cabelos loiros,
Nem em teu sorriso que é um encanto,

Está dentro de sua alma
A beleza a qual muitos procuram,
Mas só em você pude encontrar.

Eu queria ter doze anos em 1968

Imagina, estaria com 52 hoje,
Teria visto a década de 70,
Seria um ativista contra o regime militar.
E teria muito do que me orgulhar.

Eu queria ter doze anos em 1968
Imagina, teria visto a década de 80,
Teria feito vestibular, comprado uma Belina nova,
Ido a um show do Legião em Brasília,
Teria visto bem mais do que vi nessa vida,

Eu queria ter doze anos em 1968
Imagina, teria uma casa da COHAB.
Faria churrascos no fim de semana,
E hoje seria chamado de avô,
E no coração talvez tivesse mais amor.

Eu queria ter doze anos em 1968
Pra hoje poder estar rodeado de netos, inquietos,
Saber que o tempo seria bom comigo,
Ter a velhice ao invés da juventude ambígua,
Ter a sabedoria, que como jovem, eu não sei ter.

Eu queria ter 52 anos hoje, e saber que em novembro faria 53

(Poema de 06/07/2009

O céu do Vista Alegre (crònica)

Embora fosse muito cedo, comecei a trabalhar com doze anos de idade, limpando caixas d água no bairro Vista Alegre em Belo Horizonte MG. Ali tive o primeiro contato com meu animal favorito os pardais, não são ágeis, nem mesmo engenhosos como os João-de-Barro, nem mesmo bonitos como sabiás e canários, mas são espertos.

Cuidei de um que estava com a asa quebrada durante um mês, o achei as margens da Avenida Capim Branco, coloquei uma tala de palito de picolé e dava dipirona pra dor, depois de três semanas ele já andava, mas sempre rodava meu local de trabalho em sinal de gratidão, embora pudesse parecer qualquer parecer outra coisa ele sempre estava ali, e na hora do meu almoço ele comia uns grãos de arroz que deixava em cima do muro.

Mas por que gostar de pardais? Não cantam, são grandes transmissores de doenças e são um celebre incomodo na vida urbana, mas apresentam uma peculiaridade que nenhum animal irracional tem, os pardais se são feridos uma vez nunca mais voltam no mesmo lugar, por isso adoro os pardais, eles tem brio, hombridade e amor próprio.

Dedico-te

Dedico-te a melhor canção,

A melhor hora do meu dia,

O melhor dia da minha vida,

O melhor lugar do meu coração.

Dedico-te o meu maior sorriso,

Toda a minha companhia,

Todos os meus dias de alegria.

Meu primeiro e ultimo suspiro.

Dedico-te as forças da minha alma,

Meu ombro sempre amigo,

Meu trabalho, meu afinco,

Meu alvorecer, minha aurora.

Sei que nada tenho,

Sei que nada sou,

Se me quiseres serei teu,

Pois é teu todo o meu amor.

Dia

Cante, grite,
Faça o que quiser,
Hoje é o seu dia,

Hoje seja o que vier,
Haja o que houver,
Será o seu dia,

Nada vai te entristecer,
Ninguém vai te derrotar,
Hoje o dia é só seu,

A felicidade te espera,
Regozija se, jubile se ao extremo,
Hoje será o melhor dia da sua vida.

Nova Era

Não tenha medo,

Essa é uma regra simples,

Não tenha medo.

Hoje será seu dia,

Os próximos dias

Serão seus momentos,

Suas realizações e alentos

Serão seus dias de gloria

Mas só se lembre dessa regra.

Não tenha medo,

Essa é uma regra simples,

Não tenha medo.

Você vai se surpreender

Com as coisas boas

Que vão te acontecer

O sol vai brilhar pra você,

O céu se azulará

Somente pra você.

Só se lembre dessa regra.

Não tenha medo,

Essa é uma regra simples,

Não tenha medo.

Não importa o que aconteceu,

Não viva do passado,

Ontem não será mais,

Hoje é o seu dia,

A felicidade te espera,

O fim de semana marca o inicio de uma era,

A era em que você será mais que feliz.

Só se lembre dessa regra.

Não tenha medo,

Essa é uma regra simples,

Não tenha medo.

De passagem (crônica)

Considero muito engraçado as peças que a vida prega na gente, estava em Governador Valadares MG, num calor de 37º e queria muito tomar um café. Não tenho nenhum preconceito contra calor ou frio, mas detesto picolé e sorvete, e a cidade de Valadares me faz sentir como se tivesse num forno e café, depois do cigarro é meu maior vicio.

Estava indo pra casa da minha avó, numa cidade chamada Itabirinha de Mantena, que eu detesto, por causa do calor e da cidade em si, que é um reduto de fofoqueiros, dentre as quais, (hoje morta) minha tia Jovita. Para chegar até lá, era necessário parar em Governador Valadares, e naquele dia o ônibus adiantou quase duas horas.

Sai da rodoviária implorando a Deus por um café, entrei numa lanchonete, que estava vazia, ali estava um senhor simpático, pedi meu café e logo me dei conta de que só tinha cinqüenta reais, uma nota inteira, quando me dei conta quase deixei cair o copo no balcão, disse a ele que deixaria minha identidade com ele e iria tentar trocar o dinheiro, ele não quis aceitar e me disse que em outra oportunidade eu lhe devolveria o café.

Passados uns dois anos fui pra São Paulo estava no Brás e depois de um dia inteiro de viagem, compras e caminhadas no meio de gente suada e apressada, o que mais queria era uma cerveja gelada e algo pra comer. Fui até a casa de um amigo, que me emprestava o apartamento, de 2006 a 2008, quase sempre eu ia lá.

Por volta das onze da noite fui procurar um bar pra tomar minha tão desejada cerveja e me deparei com um senhor triste e abatido, eu sempre fui muito conversado, chamei-o pra tomar um lanche comigo e ele meio relutante e desconfiado aceitou, nos sentamos na calçada e ele começou a conversar, e me contou um pouco da sua vida, quando me dei conta percebi que era o senhor que tinha me dado o café em Valadares, dois anos antes, ele estava se tratando e veio até o Brás pra tentar comprar um presente para a filha, mas foi assaltado e perdeu o presente e a passagem de volta.

Naquela mesma hora me senti compelido a ajudar, embora seja meio que comerciante, eu não tinha muito dinheiro e viajava sempre de carona, mas pelas inúmeras amizades que fiz uma em especial eu agradeço, Nilo é uma pessoa que é como o chefe da “máfia”, ele conhece todo mundo e todo mundo deve a ele, conseguimos uma passagem e o senhor do café voltou pra Valadares.

De todas as lições da minha vida a maior que carrego comigo é essa, “não jogue espinhos pelo caminho, pois você pode voltar com o pé descalço”, se o senhor tivesse me escorraçado e me maltratado por eu não ter dinheiro trocado, eu não o teria ajudado, da mesma forma o inverso, somos seres humanos, e o ser humano é movido por dois ingredientes simples, amor e gratidão, pois um é a recompensa do outro, mas os dois, se juntos fazem muito bem.

Eu…

Sou a visão turva pela miopia,
a alergia a inúmeros cosméticos,
a espinha do seu Zé Batista,
sou o bem que vence o mal,
as vezes o contrário,
sou a força de um pai,
a ignorância de uma SCANIA 113HP descendo a ladeira,
e a ignorância de um VOLVO B58 subindo a serra,
vi a moça na curva,
e bati um papo com a morte,
(pode crê, ela me detesta)
sou o mal, inimaginável,
não tenho inimigos,
pelo motivo citado acima,
sei dançar conforme a música,
e sei conduzir a música como eu quero,
sou o homem que Deus ama,
e o menino que o diabo teme,
sou um morto até as 8 da manhã,
mas um vivo durante todo o dia,
sei amar, sei odiar,
sou intenso, hipotenso, hiperglicêmico, neflitário,
sou a paz e sou a guerra,
sei feder como uma merda,
eu sou uma merda…..
sou como todo ser humano,
metade alma, metade merda……………

o Jardim

Eu via você, rosa tão linda no seu jardim,

Cercada de muitos lírios, begônias e jasmins,

Mas eu fui egoísta ao querer você pra mim,

E o meu maior erro foi tirar você do seu jardim.

Fiz um vaso bordado a ouro, reguei com água pura,

Pequei a melhor terra da montanha, a terra mais pura,

Mas você murchou como uma flor que está no deserto plano,

Partiu meu coração quando ouvi você chorando.

Hoje eu percebo que tudo foi, encanto e desencanto,

E te vejo entre as paginas do meu caderno em branco,

Suas pétalas murchas me fazem lembrar do meu egoísmo,

Só ficou o perfume entre as folhas do livro da minha vida.

Ai que saudade do A552

Ai que saudade do A552

Eu era irresponsável,

galinha e não confiável,

Era imoral, ilegal,

irracional e insuportável,

Mas que saudade do A552,

Pra quem queira saber

foi a melhor época da minha vida,

Tomar café na casa da Dinha,

dar carona pra tia Aninha,

Esse era o A552,

Tomar pinga depois do trabalho,

Zoar o Benjamim, e ganhar uns “troquin”,

Esse ai era o A552,

Ali estava o meu amigo,

Ali estava o meu irmão,

Passamos por enchentes,

Buracos, ladrões e serpentes,

Mas ele sempre estava lá, o A552.

O meu amigo MB fiel,

Asas


Benditas sejam as asas,
Que me levaram aos céus,
Que me fizeram voar,
E que me deixaram cair.
Essas asas me trouxeram gloria,
Me ensinaram muitas coisas,
Desde andar de bicicleta,
Até a me levantar da queda.
Me deram poder de andar sobre as águas,
De ver as coisas com outros olhos, sem óculos,
De me esquivar da dor, de perder amor.
Benditas sejam essas asas,
Que me deram tanto encanto,
E nunca me levaram nada.
Que me deram abrigo,
Que me negaram pousada.

Ah! Como eu Amo essas Asas!



A lei da vida

Se o mal lhe fizerem,

Seja forte e dê perdão,

Pois eles nada podem,

Se a Deus tu deres a mão.

Cada dia é um novo dia,

É tempo de lutar e vencer,

Lembre se que nessa vida,

O importante é o mal esquecer.

Quem sou eu? (relato pessoal)

Pergunta estranha, que mexe com os pensamentos da humanidade há mais de um milênio,

As pessoas levantam de manhã e pensam ser pessoas absolutamente normais e no fim do dia se tornam assassinos em seus carros velozes e/ou mal conservados,

O bom velhinho que sai pela rua de manhã pode ser alguém que esconde algo de podre no porão,

A empregada domestica sempre atenciosa pode estar usando cianureto no açúcar do café, e de noite comemora os resultados de seus atos,

Vai saber quem é quem mesmo…

Ninguém pensa naquilo que é, mas sim naquilo que pode ser, eu poderia dizer que sou apenas um poeta, me apegar as palavras de um sábio bigodudo que dizia, “eu sou apenas um rapaz latino-americano, sem dinheiro no banco”, mas não posso usa las hoje, não por ter dinheiro, mas hoje eu já não sou “apenas um rapaz,” já sou um homem com deveres e responsabilidades,

Na verdade eu não sei quem sou, sei das minhas funções no presente momento, sou o pai da Ana Carolina e o marido da Cidinha,

Sou responsável por duas vidas e sigo meu caminho na esperança de concluir esse dia sem faze las qualquer mal e sem deixar qualquer coisa ruim passar por elas e para elas, a verdade é que devemos seguir o nosso caminho, e quanto a saber quem somos, não dá, somos aquilo que está escrito na carteira de identidade, o significado não é importante, mas sim, o nome, eu já perdi o meu há alguns anos, eu sou apenas um pardal, branco de pele, mas com o coração negro pelas marcas do sofrimento causado pela vida,

“Se sofrer é viver, parabéns a nós que colhemos muito dessa vida, sinal de que já alcançamos a longevitude e podemos chegar a imortalidade.”

Desabafo!

Ninguém lê isso aqui mesmo, acho que hoje posso usar essa pagina como uma parte do que deveria fazer com pessoas, com amigos, mas sei lá…

Meus amigos estão tão ou mais enrolados em problemas do que eu,

Eu,

Sempre fui um egoísta nato, ao estilo da canção do Raul, e pensar que sempre incentivei as pessoas que fizessem assim, bolas,

Não sejam assim,

Eu sento de manhã e não vejo nenhuma perspectiva do meu dia, de coisas que eu possa fazer ou buscar pra mim,

Daí algum sádico idiota me diz que eu preciso viver pra e pela minha família,

Família,

Ô palavra regaçada, meus pais sempre fizeram o que queriam, meu irmão me acusa pelos traumas da infância e minha mãe esta doente em suma pelo abandono da minha parte,

Era eu que a levava ao médico, era eu que saia com ela sempre, era eu,

Mas eu mudei,

Uma vaca prostituta brincou com a minha vida e eu caí como um patinho e arruinei a minha vida e acabei indo parar nesse momento “up” que me encontro agora,

Dizem que com o casamento e os filhos a vida muda, e é verdade, nem sempre pra melhor,

Minha esposa é um anjo e não merecia um marido como eu, um nada,

Não tenho a mínima perspectiva de vida, eu to num deserto sem água e sem ninguém,

Eu poderia falar sobre meus problemas com Deus, mas acho que ele ta cansado de me ouvir lamuriar sobre o passado, acho que já ta na hora de eu morrer,

Mas ai é que ta a questão, eu fumo e não tenho uma doença relacionada, eu bebi muito nos últimos três anos da minha vida e nada fiz a não ser passar vergonha,

Tentei suicídio por oito vezes de maneiras infalíveis e não morri,

Enfiaram uma arma na minha cabeça e ela não disparou,

To cansado,

Eu não consigo nada, eu afundei em algum canto da minha vida e isso acabou comigo,

Seja por causa da prostituta que eu nunca amei, mas pensei ter amado, seja pelo fato de ter tentado em vão fugir de BH, sei lá, eu naufraguei,

Fiz o curso da minha vida e não posso dar aulas,

Tenho um carro e não posso dirigir,

Tenho uma vida e não posso viver, mas por que, por que eu errei numa curva e não da pra atravessar o abismo sem ponte e voltar pra estrada certa,

Eu morri, mas alguém lá em cima esqueceu de levar a minha alma,

Todos me acusam de coisas que eu não fiz, mas indiretamente provoquei,

A vida não é mais a mesma, dos meus cinco anos de idade em que eu não sabia a diferença do certo e do errado e que me contentava em ler os desenhos e fazer ônibus em caixas de papelão com palitos de fósforo,

Canto hoje um trecho de uma canção do barão vermelho, “meus bons amigos onde estão”.

Alguém me mostre o caminho certo sem meter Deus no meio, só quero encerrar essa encarnação como alguém sóbrio e em paz, sem culpa, deixar o passado e que descubram meus segredos sem poder me jogar na cara.

Deixo esse espaço para trazer lhes as frases celebres de uma pessoa simples, humilde que viveu até 2001, e hoje completaria 82 anos,

“as vezes é preciso conhecer o inferno, pra chamar o seu lar de céu”

“a morte é o momento mais auspicioso pra se pensar na vida”

“todo dia é dia de recomeço, pra parar é preciso ter fim, e o fim é a morte”

“o mundo não vai parar pra que você junte seus cacos e se conserte, então o melhor é fazer isso o mais rápido possível, antes que alguém passe por cima de você”

“você não vive só um dia, então rala, por que senão não vai ter amanhã”

“as moscas são um lixo, mas prefiro elas que falsidade”

“pedra é a segunda coisa mais útil nesse planeta de merda”

“se você desistir agora vai fazer isso sempre, e ai?”

“o fim chega sem aviso”